Sexta, 25 Mai 2018 -
FacebookTwitter

PM participa de audiência sobre os desafios da segurança pública em Paraíso do Tocantins

 

A Polícia Militar participou nesta segunda-feira, 04, de uma audiência pública realizada na Câmara de Vereadores de Paraíso do Tocantins. Com o tema “Os desafios da segurança pública em Paraíso”, a audiência teve início às 18h30 e foi conduzida pelo presidente da Câmara, vereador João de Deus Lopes da Cunha (JC), que conduziu os trabalhos e disse que a reunião teve o objetivo de incentivar a comunidade a demandar propostas que auxiliem o trabalho das instituições de segurança, visando a melhoria na segurança de modo geral.

 

O tenente coronel Cláudio Thomáz Coelho de Souza, Comandante de Policiamento da Capital, frisou que a impunidade determina a criminalidade, pois pequenas infrações não corrigidas traçam o caminho rumo aos grandes crimes. “As leis precisam ser modificadas, pois, muito embora o efetivo esteja prestes a aumentar, haja vista que o governo do Estado já está providenciando a concretização de inserção de pelo menos mais 1.040 novos policiais militares, isso não será a solução em si, até porque a lei continuará a mesma”, ressaltou.

 

O tenente coronel disse ainda que o seu desafio enquanto comandante do Policiamento da Capital é mudar o quadro de violência local, mas que para isso precisa do envolvimento da sociedade, porque por parte da PM, as estratégias já estão traçadas, e o empenho é total.

 

O prefeito Moisés Avelino foi bastante direto em sua fala citando que o País está carente de políticas públicas voltadas à criança e ao adolescente, e isso ajuda a propagar a criminalidade e a criar menores violentos, e que se tem é apenas punição como solução. Encerrou dizendo que, embora não veja como a resolução de todos os problemas, mas são necessárias melhores condições de trabalho para as forças policiais tanto no sentido material, quanto no humano, mas que acredita que a raiz de tudo isso ainda está na estrutura familiar.

 

União

 

Os pontos de maior debate entre os participantes foi a questão da educação familiar, a união das forças de segurança, a impunidade, brandura das leis e, principalmente, o apelo para que a comunidade colabore no trabalho das polícias, uma vez que isso também é responsabilidade de todos.

  

“Essa audiência é de muita importância, pois podemos expressar nossas ideias. Precisamos de maior segurança, mas também temos que estar prontos para colaborar mais. O que queremos é apenas viver e trabalhar”, disse a comerciante Rita Carvalho.

 

A reunião contou com expressiva participação e teve seu principal objetivo alcançado, sendo notada uma predisposição de se envidar maiores esforços em favor da causa, com a união da própria sociedade civil, os poderes constituídos e a educação familiar.