Quinta, 24 Mai 2018 -
FacebookTwitter

BRK Ambiental faz testes com aparelho de fumaça na busca por irregularidades

 

A BRK Ambiental, concessionária responsável pelos serviços de água e esgoto em 47 cidades do Tocantins, está realizando testes de fumaça para identificar possíveis irregularidades na rede de esgoto. O teste é um piloto na operação da concessionária no Tocantins e foi realizado na quadra 1503 sul. A ação foi realizada em parceria com a Fundação do Meio Ambiente de Palmas.

O teste consistiu em operar um insuflador de fumaça atóxica nos poços de visita, instalações que dão acesso à rede de esgoto e que são conectadas às residências. O retorno da fumaça para o interior delas é resultado de irregularidades nas ligações de esgoto.

 

Enquanto os testes foram realizados, funcionários da BRK Ambiental, juntamente com representantes da Fundação do Meio Ambiente, realizaram uma ação de conscientização na vizinhança, distribuindo folhetos explicativos e orientando os moradores sobre a forma adequada de se ligarem à rede de esgoto e os cuidados que precisam tomar com suas instalações internas.

 

Para Rodrigo Lacerda, Gerente Operacional da BRK Ambiental em  Palmas, essa ação tem como principal objetivo levar a população a ter conhecimento sobre o risco da mistura de água da chuva na rede de esgoto, além de alertá-la sobre a irregularidade desse processo, que é proibido pela legislação municipal. “Essa ação é motivada pela preocupação ambiental da companhia com os extravasamentos de esgoto e o comprometimento em passar aos clientes o conhecimento que nós temos, para prevenir irregularidades e garantir que o serviço chegue com qualidade para a população”, afirma.

 

A parceria com a Fundação do Meio Ambiente fortaleceu a iniciativa e o conhecimento sobre medidas necessárias ao desenvolvimento sustentável das operações da concessionária. Adriano Silva Pinto, diretor de controle ambiental da Fundação, acredita que ações como essa abrem espaço para parcerias entre o órgão municipal e a empresa em outras áreas do meio ambiente futuramente. “A ideia é que façamos parceria em outras áreas como reflorestamento de nascentes, recuperação de áreas degradadas e ações de preservação e conservação ambiental”, conclui.