Terça, 19 Jun 2018 -

Estado

Em Colinas, estudantes de Direito pedem a Amastha que leve programa Jovem Empreendedor ao interior

 

Candidato a governador garantiu que programa será levado a todo estado, pois significa educação e oportunidades; ele garantiu ainda usar  nos municípios a mesma gestão da saúde e da educação que deu certo em Palmas

Um dos legados da gestão de Carlos Amastha em Palmas, o programa Jovem Empreendedor, que possibilita encaminhamento profissional a jovens, foi reivindicado por estudantes de Direito de Colinas para que seja expandido ao interior caso o ex-prefeito de Palmas vença a eleição suplementar do dia 3 de junho para o governo do Estado.

O tema foi levantado durante sabatina promovida pela Faculdade de Direito de Colinas com o candidato da coligação "A Verdadeira Mudança" na noite desta quinta-feira, dia 24, em Colinas do Tocantins, onde Amastha cumpriu agenda. O encontro foi na Faculdade Integrada de Ensino Superior de Colinas (Fiesc). A instituição tem o primeiro curso de direito do Tocantins, criado há 25 anos. 

Questionado se caso fosse eleito, o ex-prefeito de Palmas levaria para o restante do Tocantins está iniciativa de Palmas, Amastha foi sucinto: "Com certeza, pois a iniciativa significa educação e oportunidades". 

O candidato declarou ter orgulho de andar pelos municípios do Tocantins e sempre ser alvo de questionamentos baseados nos exemplos que fez em Palmas. "É gratificante ir para cada um dos municípios, e as pessoas não perguntarem qual a minha proposta ou promessa. Sempre me perguntam se eu farei no Estado o que fiz em Palmas. Isso é maravilhoso", declarou.  "A diferença minha dos meus adversários é que eu fiz. Não prometo. Eu fiz!", complementou

 

Saúde, educação, infraestrutura e política tributária

 

Durante a sabatina, Amastha foi questionado sobre vários temas, como segurança, saúde, infraestrutura e educação. 

Sobre a saúde, Amastha ratificou que o plano emergencial para a gestão suplementar no Estado é de destravar as obras, zerar a fila de cirurgia e acabar com a falta de medicamentos. "Fizemos em Palmas uma revolução na saúde. Acabamos com a história dos 'postinhos de saude' por centros de saúde bem equipados  e instalados. Hoje temos uma saúde que é referência no país todo. E é isso que levaremos para o Estado."

Sobre investimentos em estradas, Amastha também foi claro: "Isso não é política pública, é obrigação dos gestores". 

Sobre segurança, o ex-prefeito da Capital ressaltou que pretende seguir o exemplo de Palmas.  "Em Palmas, nós equipamos a Guarda Metropolitana, investimos no servidor e demos condições de trabalho. Um exemplo: a gloriosa PM do Tocantins é obrigada por este governo a fazer seu trabalho de Golzinho. A GM, em Palmas, anda de Pajero", lembrou.

Ele também foi perguntado sobre política tributária. Como tem defendido em outras oportunidades, Amastha explicou que as iniciativas serão voltadas ao desenvolvimento e geração de emprego e renda.  "Não haverá invenção de imposto. Faremos uma política tributária justa, com um Estado enxuto. O problema é que o Estado gasta mal. Há uma sede de arrecadar  com o único objetivo: custear a máquina pública", concluiu.