Terça, 19 Jun 2018 -

Estado

Tocantins abre oficialmente a campanha de vacinação contra febre aftosa

 

Celebrando 21 anos sem registro de foco da febre aftosa e 20 anos da criação da Agência de Defesa Agropecuária (Adapec), o Governo do Estado deu o ponta pé inicial abrindo oficialmente a primeira etapa da campanha de vacinação contra a febre aftosa neste sábado, 7, no município de Cristalândia, região sudoeste do Estado.

 

O evento, que tradicionalmente ocorre a cada etapa realizada em maio e novembro, reuniu produtores rurais, empresários e a comunidade em geral. A campanha teve início no dia 1ª de maio e encerra no dia 31, com a meta de vacinar 8,7 milhões de bovídeos (bovinos e bubalinos).

 

O presidente da Adapec, Alberto Mendes da Rocha falou da importância da manutenção da área livre da doença para o fortalecimento do agronegócio. “Conclamamos a todos os produtores rurais que continuem nos ajudando e colaborando com vacinação do rebanho. Estamos há 21 anos livres da doença, nosso status sanitário garante a qualidade da carne e abertura de novos mercados para o crescimento econômico”, disse, ressaltando a criação da Agência, que completará 20 anos em dezembro, “Minha homenagem e agradecimento aos servidores, produtores rurais e empresários que tem ajudado escrever a história, pois a agropecuária tem fundamental importância para sobrevivência humana, já que é através dela que se obtém alimento”, pontuou.

 

O superintendente federal da agricultura, Rodrigo Guerra, disse que em dois anos já foram investidos R$ 2,5 milhões para o fortalecimento da defesa agropecuária do Estado e que até junho, deste ano, cerca de um milhão de reais serão liberados. “Temos uma grande parceria com a Adapec, que tem reconhecimento nacional como uma das melhores agências do Brasil, pois tem garantido praticamente 100% do rebanho vacinado. A febre aftosa é coisa séria, causa prejuízos incalculáveis, portanto, os produtores devem continuar atentos na vacinação do rebanho”, alertou.  Em 2017, foram exportados 28 mil toneladas de carnes e seus derivados para 26 países, entre os maiores importadores estão: Hong Kong, Rússia, Chile, Egito e Emirados Arabes.

 

O prefeito do município de Cristalândia, Cleiton Batatinha, avaliou a importância da vacinação, “Que consequentemente valoriza o rebanho, gera mais empregos e renda”. O produtor rural da região, Edimilson de Abreu Lima, da Fazenda Ponte Alta complementou, “O gado vacinado está prevenido, eu aproveito o manejo e já executo a aplicação das vacinas contra febre aftosa, brucelose e raiva, depois faço a declaração”, disse. Edimilson tem 400 cabeças de gado, sua atividade principal é cria de animais.

 

A Fazenda Recanto das Emas, do proprietário conhecido como Tião do Itapaci, também investe na cria de bezerros, ao todo são 1.100 bovinos. “Aqui a vacinação é prioridade, feita religiosamente a cada campanha, já o evento foi um momento de discutir novas ideias e atentar para novos projetos”, destacou o filho do Tião, Hildemar Oliveira.

 

Campanha

 

Nesta fase da campanha, todos os bovinos e bubalinos deve ser vacinados. A comprovação deve ser realizada até 10 dias após a compra da vacina, nas unidades da Agência, basta que o produtor leve a nota fiscal da compra da vacina e a carta-aviso preenchida. A omissão pode gerar multas no valor de R$ 5,32 por animal e R$ 127,69 por propriedade não declarada.